terça-feira, 16 de setembro de 2008

Chá e Sorvete. Armas da Starbucks contra a crise economica.





Mesmo diante da crise norte americana, grandes empresas apostam em lançamentos. Este é o caso da Starbucks, que divulgou ontem acordo para novos produtos. A grife de cafés pretende lançar sorvetes através de licença para uma linha de café com vários sabores que será criada e fabricada pela Unilever. Os sorvetes, que serão comercializados somente nos Estados Unidos e Canadá, poderão ser encontrados nas cafeterias da rede e em outros pontos de venda.

Além do mundo gelado, a empresa ainda quer entrar no mercado de chá, e logo estará a disposição do consumidor uma linha que conta com chá de ervas, frutas e outras variedades. A linha de chás será produzida pela PepsiCo, que também já fabrica o Frappuccino.(link bônus)

A Starbucks chegou ao Brasil no fim de 2006 e já conta com 11 lojas da marca em São Paulo. Entre especulações e dúvidas sobre seu sucesso em nosso país, ela tem seguido bem até agora, mesmo com a morte da principal responsável pela vinda da marca, a empresária Maria Luisa Rodenbeck, em 2007. A gigante que movimenta quase 10 bilhões de dólares anuais enfrenta agora a crise, que recentemente quebrou o 4° maior banco norte americano, com a mesma estratégia que usou na Espanha, quando teve de fechar 600 lojas e cortar custo ao limite; lançar novos produtos e estreitar os laços com seus clientes.

Para ouvir os consumidores foi lançado em março deste ano o site MyStabucksIdea, onde o cliente pode votar, discutir, ver novos produtos e dar idéias para a empresa, assim, as lojas adaptaram suas refeições de acordo com as sugestões e reduziram preços, aplicaram promoções e ações de marketing especificas, como o programa de fidelização com um cartão próprio. A Starbucks é uma marca forte, atuante em diversos segmentos e com um branding notável e muito bem aplicado, focado na costumer experience. É desta forma que a empresa enfrenta as crises econômicas dos mercados onde aporta; com inteligência, inovação e busca de conexão emocional com seus clientes.


Miss Joe




7 comentários:

Michell Niero disse...

Apesar de representar uma realidade muito aquém da nossa, inclusive na precificação, admiro a qualidade dos serviços e produtos do Starbucks. Já li algo sobre as tramóias envolvendo a marca, não posso dizer se é verdade, mas o fato é que percebo um crescimento contínuo da grife por essas bandas.

Só não encaro aquele café americano. Que m... é aquela?

Jonatas Fróes disse...

Admiro muito a Starbucks porque eles estão sempre inovando, reciclando, e principalmente se preocupando com o público e fazendo dúzias de pesquisas para agradá-lo (O que consequentemente acarreta numa maior fidelização da marca e amplia o público-alvo).

Passaram por uma crise a pouco tempo em função das suas linhas de fast-food e resolveram retirá-las após perceberem que o público não gostava do cheio dos lanches e salgados que tiravam do ar o aroma de café. Acredito que essa nova empreitada com chás e sorvetes venha a suprir essa defazagem causada pela retirada de investimentos na linha fast-food.

[]'s

Musikaholic

30 e poucos anos. disse...

Que venha muitos lançamentos ... adoro Starbucks mesmo não sendo apaixonado por café.
Acho que é mais pela lembrança da cultura americana que eu gosto muito.

Confissoes de uma Adolescente ;D disse...

putzzz...
e eu adorooooo
o melhor café com cookies do mundo
nhamii =p

Ellen Regina disse...

Vou parecer um E.T. se disser que não conheço essa marca? Vou? Então tudo bem, vcs venceram: sou mesmo de marte...

Brincadeiras à parte, é importante para a própria economia americana q suas empresas busquem novos mercados.

Blog@Dois disse...

Huahuahu não parece não Ellen, acontece.
Para ajudar tem o site nacional da Starbucks no post, mas vou repetir aqui:

http://www.starbucks.com.br/pt-br/

Dá uma espiada lá e não se sinta nunca mais uma E.T. xDDDD

Beijão, valeu pelo comentário.

Rebecca Agra disse...

Nossa Senhora das Alpercatinhas Vermelhas....

Sorvete... Chá... Starbucks...

Eu quero...

=))~~

tracker